June 22, 2024

Montenegro esta condenado…

Mar 29, 2024 Hits:1586 Opinião

IMPORTANTE: COMEÇAR BEM

Mar 26, 2024 Hits:775 Opinião

SECÇÃO DO PSD-BRUXELAS …

Mar 18, 2024 Hits:1402 Opinião

Touradas: prática cultur…

Mar 16, 2024 Hits:1026 Opinião

Chega Triunfa no Algarve:…

Mar 12, 2024 Hits:2779 Opinião

Mulher, a seiva da vida

Mar 05, 2024 Hits:403 Crónicas

Delenda Moscua

Mar 04, 2024 Hits:598 Opinião

PROMESSAS ELEITORAIS

Mar 01, 2024 Hits:599 Opinião

CANDIDATOS DO PS NA FEIRA…

Feb 29, 2024 Hits:1589 Opinião

Ucrânia: Putin lembra ao Ocidente que possui armas nucleares



Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor!


O Presidente russo, Vladimir Putin, alertou que tem armamento nuclear disponível a ser usado, se alguém ousar utilizar meios militares para tentar impedir a invasão russa da Ucrânia.

A ameaça pode ter sido vazia, uma mera exibição de garras pelo Presidente russo, mas foi percebida. Isso acendeu visões de um pesadelo em que as ambições de Putin poderiam levar a uma guerra nuclear por acidente ou erro de cálculo.

“Quanto aos assuntos militares, mesmo após a dissolução da URSS [União Soviética] e a perda de uma parte considerável das suas capacidades, a Rússia de continua a ser um dos estados nucleares mais poderosos”, disse Putin, no seu discurso pré-invasão na quinta-feira.

Putin adiantou que “não deve haver dúvida para ninguém de que qualquer potencial agressor enfrentará a derrota e consequências nefastas se atacar diretamente” a Rússia.

Ao sugerir uma resposta nuclear, o Presidente russo colocou em jogo a possibilidade perturbadora de que os atuais conflitos na Ucrânia possam eventualmente transformar-se num confronto atómico entre a Rússia e os Estados Unidos.

Este cenário apocalíptico é familiar para aqueles que cresceram durante a Guerra Fria, numa época em que as crianças das escolas norte-americanas eram instruídas a esconderem-se debaixo de mesas em caso de sirenes nucleares.

Surpreendentemente, nenhum país usou mais armas nucleares desde 1945, quando o presidente norte-americano Harry Truman lançou bombas no Japão, acreditando que era a maneira mais segura de acabar rapidamente com a Segunda Guerra Mundial. Isso aconteceu, mas com a perda de cerca de 200.000 vidas, a maioria civis em Hiroshima e Nagasaki.

Em todo o mundo, ainda hoje, muitos consideram isso um crime contra a humanidade e questionam se valeu a pena.

Por um breve período após a guerra, os Estados Unidos tiveram o monopólio nuclear. Mas alguns anos depois, a União Soviética anunciou a sua própria bomba nuclear e os dois lados da Guerra Fria se envolveram numa corrida de armamento para construir e desenvolver armas cada vez mais poderosas nas próximas décadas.

Com o fim da União Soviética em 1991, e a sua transformação numa democracia sob o comando Boris Yeltsin, os Estados Unidos e a Rússia concordaram em limitar os seus armamentos.

Outros países pós-soviéticos, como Ucrânia, Cazaquistão e Bielorrússia, desistiram voluntariamente das armas nucleares no seu território depois da dissolução da União Soviética.

Nos últimos anos, falaram-se de armas nucleares, no contexto de impedir a sua proliferação em países como a Coreia do Norte e o Irão.

Luso.eu - Jornal das comunidades
Redacção
Author: RedacçãoEmail: This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos



Luso.eu | Jornal Notícias das Comunidades


A sua generosidade permite a publicação diária de notícias, artigos de opinião, crónicas e informação do interesse das comunidades portuguesas.


A SUA PUBLICIDADE AQUI?

A nossa newsletter

Jornal das Comunidades

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

TEMOS NO SITE

We have 232 guests and no members online